.

Ir para o Conteúdo  | Ir para o Menu  | Ir para o rodapé  | Ir para a Busca             Acessibilidade   | Intranet  |  SIC  |  Canal de Denúncia  | Ouvidoria   Botão do Instagram do Tribunal de Justiça de Roraima   Botão de acesso a rede social Facebook do TJRR   Botão de acesso ao canal de Youtube do TJRR   Botão  da Rede Social Twitter do TJRR

Selos Prêmios TJRR       

ARTIGO - CONVIVENDO COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA

 

 
foto colorida do Aldair Ribeiro dos Santos pousando para fotografia
 
Você identifica a pessoa com Deficiência Auditiva (DA) se ela usa aparelhos nos ouvidos, se se inclina para frente para ouvir, se coloca a mão em concha na orelha ou se fala algo como: “o quê?”, “como?”, “não entendi”, “pode repetir?”.
 
A pessoa com deficiência auditiva possuem raciocínio, visão e outros sentidos preservados, como qualquer pessoa.
 
Pessoas com DA leem os lábios, então ao falar, esteja de frente para a pessoa, fale normal, com boa dicção, mantendo contato visual. Mude frases não compreendidas em vez de repeti-las, já que o deficiente auditivo pode compreender melhor outras palavras.
 
Nem todo surdo usa Libras, mas se houver um intérprete de Libras, dirija-se sempre ao surdo e não ao intérprete.
 
Em locais de recepção ao publico, deve haver pelo menos uma pessoa que se comunique em LIBRAS, balcão baixo livre de barreiras físicas, uma tela virada para o público, avisos com desenhos e textos, disponibilidade de número de whatsapp, atendentes capacitadas para atender DA e outras deficiências.
 
Há muita diversidade na surdez, que precisa ser respeitada. Existem surdos oralizados, surdos sinalizantes e surdos bilíngues. Os oralizados usam o português como língua escrita e falada, sinalizantes usam Libras, bilíngues usas as duas linguagens. Acessibilidade para sinalizantes é a Libras, mas para oralizados são legendas, leitura labial, aparelhos auditivos, implantes cocleares e tecnologias assistivas que transformam áudio em texto, que usem vibração ou cores/luzes.
 
Se você quer falar com a pessoa DA, chame sua atenção, seja sinalizando com a mão ou tocando no seu braço. Enquanto estiverem conversando, mantenha contato visual. Se você olhar para outro lado enquanto está conversando o deficiente auditivo pode pensar que a conversa terminou.
 
Nem sempre a pessoa DA tem uma boa dicção (“sotaque de surdo”). Se você tiver dificuldades para entender o que ela fala, peça que repita. Se ainda não entender, peça-lhe para escrever em papel ou digitar no celular (bloco de notas) ou num aplicativo de celular (whatsapp). O que interessa é se comunicar com a pessoa surda. O método não é o que importa.
 
Se forem ver um filme em casa, providencie no menu do DVD para aparecer as legendas visíveis (OC - Opened Caption) do filme. Se for na TV, acione no controle remoto a legenda oculta (CC - Closed Caption). Se for ao cinema, escolha um filme legendado (reclame com o gerente se o cinema não oferecer isso).
 
Não jogue culpa na pessoa DA pela frustração na comunicação dizendo "você não está entendendo", "você não ouviu direito", pois a isso significa que você falhou em comunicar. Acima de tudo seja empático e sempre pergunte como pode se comunicar com a pessoa DA.
 
Respeite, conviva, aprenda, auxilie, enfim, trate-as como você gostaria de ser tratado.
 
Artigo por: Aldair Ribeiro dos Santos
Tecnico Judiciário 
 
 
Ícone WhastsApp Ícone Instagram TJRR Ícone Twitter TJRR Ícone Facebook TJRR Ícone Linkedin TJRR Ícone Spotify TJRR Ícone TikTok TJRR Ícone Youtube TJRR

Palácio da Justiça - Desembargador Robério Nunes dos Anjos

Endereço: Praça do Centro Cívico, 296 - Centro - 69.301-380

Telefones:

3198-2800 - Palácio da Justiça
3198-4700 - Fórum Cível
3194-2699 - Fórum Criminal
3198-4900 - Prédio Administrativo
3621-5100 - Vara da Infância e Juventude

Logomarca do Tribunal de Justiça de Roraima

PLANTÕES DE ATENDIMENTO - SÁBADO, DOMINGOS E FERIADOS

Plantão Judicial 1ª Instância: ☎ (95) 98404 3085
Plantão Judicial 2ª Instância: ☎ (95) 98404 3123
Núcleo de Plantão Judicial e Audiência de Custódia: ☎ (95) 98404 3085
Plantão Vara da Justiça Itinerante: ☎ (95) 98404 3086

.
Acessibilidade Visual
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte