POPRUAJUD EM RORAIMA - Evento discute política de atenção às pessoas em situação de rua

 
Fotos: Nucri TJRR 
 
Imagem colorida mostra uma sala com cadeiras brancas ocupadas por homens e mulheres. Ao fundo, mesas cobertas com toalhas brancas posicionadas formando um retângulo, atrás estão representantes das organizações do Estado Brasileiro.
 
O Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), por meio da Escola do Poder Judiciário (Ejurr), sedia, a partir desta quarta-feira, 1º de março, a Força Tarefa do Comitê Nacional PopRuaJud, que visa atuar em prol da população dos moradores em situação de rua.  
 
O evento seguirá ainda durante os dias 2 e 3, e contará com diversas atividades como oficinas e capacitações, para debater temas relacionados à população em situação de vulnerabilidade social, e visitas institucionais às entidades que atuam na proteção. 
 
Imagem colorida mostra mesas cobertas com toalhas brancas posicionadas formando um L, atrás, em destaque estão O conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) presidente da Comissão Permanente de Políticas Sociais e de Desenvolvimento do Cidadão, Mário Goulart Maia com o microfone na mão, a sua direita o vice-presidente do TJRR, desembargador Ricardo Oliveira e o diretor da Escola do Poder Judiciário, desembargador Cristóvão Suter e a sua esquerda a desembargadora Elaine Bianchi
 
O conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) presidente da Comissão Permanente de Políticas Sociais e de Desenvolvimento do Cidadão, Mário Goulart Maia, destacou que a reunião é o início de uma proposta ampla. “O intuito é que o trabalho tenha continuidade. Que se faça mais e mais e que ela deixe de ser uma política e se torne uma prática, levando em consideração as peculiaridades locais”. 
 
A juíza federal do TRF 3ª Região, Luciana Ortiz Tavares Costa Zanoni, destaca que o principal objetivo do evento é construir junto com todas as instituições envolvidas,  um fluxo permanente de atuação e auxílio às pessoas em situação de rua.
 
“Estamos a dois anos fazendo um trabalho intenso para que o judiciário amplie esse diálogo interinstitucional em todos os órgãos de atendimento à essa parcela da população. Precisamos construir uma rede permanente  de atendimento para que essas pessoas consigam exercer os seus direitos sociais”, reforçou a magistrada.  
 
O vice-presidente do TJRR, desembargador Ricardo Oliveira, considera fundamental o processo de capacitação. “É preciso que o Poder Judiciário seja capacitado e sensibilizado para atender a essas pessoas. Os cursos e as oficinas são oportunidades para que sejam aprimorados os conhecimentos e habilidades para lidar com essa questão desafiadora”, completou. 
 
O diretor da Escola do Poder Judiciário, desembargador Cristóvão Suter, afirma que: “a ação resulta em um trabalho conjunto que tem por objetivo fazer com que essa população vulnerável, possa se integrar e ter direito a uma cidadania”. 
 
Imagem colorida mostra uma mesa coberta com toalhas brancas, atrás sentado  com o microfone na mão está o diretor da Escola do Poder Judiciário, desembargador Cristóvão Suter, a sua esquerda estão a A juíza auxiliar da presidência do CNJ, Fabiane Pieruccini e a A juíza federal do TRF 3ª Região, Luciana Ortiz Tavares Costa Zanoni, a sua direita desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª região, Thenisson Dória
 
Atualmente,  segundo o relatório "População em Situação de Rua e População Migrante no município de Boa Vista/RR: um diagnóstico para a formulação e implementação de políticas públicas", mais de duas mil pessoas estão vivendo nas ruas da capital de Boa Vista. Para mudar esse paradigma, a realização dos debates entre as instituições públicas do estado culminará na criação de um Comitê Regional da política judicial em atenção às pessoas em situação de rua, como explica o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 20ª região de Sergipe, Thenisson Dória,  que também é membro do Comitê Nacional PopRua Jud. 
 
“Nosso maior propósito é deixar magistrados e magistradas ainda mais qualificados para atuarem com a política judicial em atenção a pessoas que vivem em situação de rua”. 
 
O secretário nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), André Quintão, comenta que é necessário ter um olhar de cuidado por meio de políticas públicas integradas que levem a moradia, emprego, a geração de renda e aos benefícios sociais emergentes e permanentes. 
 
“Parabenizo o Poder Judiciário por buscar a construção dessa rede interinstitucional, que respeita e ouve, que constrói um campo para as relações federativas e que cria também responsabilidade compartilhada para o entendimento da situação dos desafios e também para a apresentação de soluções”.
 
Imagem colorida mostra uma sala com cadeiras brancas ocupadas por homens e mulheres. Ao fundo, mesas cobertas com a bandeira  do Movimento Nacional População de Rua (MNPR). No canto superior esquerdo em pé, com o microfone na mão está o membro do Movimento Nacional População de Rua (MNPR), Vanilson Torres.
 
O membro do Movimento Nacional População de Rua (MNPR), Vanilson Torres, disse que esses debates fortalecem a rede de apoio e atenção. “Essas capacitações, oficinas e as mesas  de discussões,  vão possibilitar o maior entendimento do que é morar nas ruas, quem é essa população e porque ela vai para as ruas, quais são as questões estruturantes que fazem com que essas pessoas vivenciem as realidades da rua”.
 
Confira a programação completa do evento aqui
 
Acompanhe a reportagem em aúdio: 
 

Botão Instagram TJRRBotão Youtube TJRRBotão Facebook TJRRBotão Twitter TJRR

Palácio da Justiça - Desembargador Robério Nunes dos Anjos
Endereço: Praça do Centro Cívico, 296 - Centro - 69.301-380

Telefones:

3198.2800 - Palácio da Justiça
3198.4700 - Fórum Cível
3194.2699 - Fórum Criminal
3198.4900 - Prédio Administrativo
36215100 - Vara da Infância e Juventude

Logomarca do Tribunal de Justiça de Roraima

PLANTÕES DE ATENDIMENTO - SÁBADO, DOMINGOS E FERIADOS

Plantão Judicial 1ª Instância: ☎ (95) 98404 3085
Plantão Judicial 2ª Instância: ☎ (95) 98404 3123
Núcleo de Plantão Judicial e Audiência de Custódia: ☎ (95) 98404 3085
Plantão Vara da Justiça Itinerante: ☎ (95) 98404 3086

Acessibilidade Visual
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte